Apresentação

9_2019_INTERNET.jpg

 IX Simpósio Nacional de Geografia da Saúde

    Um dos compromissos primordiais da Geografia da Saúde no Brasil é contribuir para a manutenção do SUS, como um sistema universal, gratuito, um modelo de desenvolvimento que visa a diminuição das iniquidades em saúde e a redução das desigualdades sociais.

    Em 2019, Blumenau-SC foi escolhida para receber em 2019 o IX Simpósio Nacional de Geografia da Saúde, com o tema “Em defesa do SUS....MAIS Geografia”. A comissão organizadora considerou dois contextos: o politico que o país vem passando com o aprofundamento dos cortes em gastos sociais, o que implicará em retrocessos em várias ações exitosas conquistadas pelo SUS desde a constituição de 1988 e local da cidade anfitriã, onde a questão dos desastres naturais e os impactos na rede de atenção básica é emblemática.

   Gastos sociais implicam aos setores da saúde e da educação, vitais para a construção de um modelo de desenvolvimento mais humano e democrático. O atual contexto, oportuniza a pensar, por um lado, ao caminhar rumo ao preceito constitucional que assegura a saúde como direito do cidadão (usuário) e, por outro, refletir sobre o papel da formação do cidadão que também participará na gestão na área da Saúde, muitas vezes como trabalhador do setor. É importante lembrar que milhares de trabalhadores brasileiros não tiveram acesso à educação, tanto do ponto de vista geral quanto do profissional. Muitos que ingressaram no mercado de trabalho em saúde também não tiveram possibilidades de concluir seus estudos.

    É também proposta deste evento, discutir a questão dos desastres naturais e os impactos na rede de Atenção Básica. Embora os desastres chamem a atenção quando resultam em grande número de óbitos ou destruição, Santa Catarina tem suas particularidades (deslizamentos ou inundações, períodos de seca, entre outros eventos climáticos), a Atenção Básica será demandada, de modo direto ou indireto que podem ajudar neste tema. Neste sentido, vamos discutir quais são as características essenciais na gestão de risco e de desastres, como a responsabilidade de atuação em territórios e das populações, a importância de ser conhecer os problemas e as necessidades de saúde onde os desastres ocorrem.

    Diante disto, a reordenação das práticas de saúde, a regionalização da assistência e os impactos naturais no atendimento da atenção básica, apontam para a necessidade inclusão de novas categorias de análise no planejamento e gestão do SUS. Assim, a qualificação e formação de pessoal de nível básico e técnico (funções intermediárias) para atuar tanto na atenção básica quanto na média e alta complexidade, no apoio diagnóstico, vigilância em saúde, informação, desenvolvimento e gerência de processos de urgência e emergência é fundamental para o SUS. Esta discussão, tem que ser pensada de maneira associada ao contexto da Educação Profissional e Tecnológica (EPT) no Brasil. Os Institutos Federais e as escolas técnicas podem colaborar, no entanto, precisamos entender como isto poderá ser viabilizado.

Visão geral do evento

O principal objetivo do evento é fortalecer o papel da Geografia nos modelos de gestão e práticas sanitárias que contribuam para a melhoria da qualidade das ações e práticas do SUS.

Como objetivos específicos deste IX Simpósio Nacional são:

  • Pensar o papel da Geografia da Saúde por meio da Educação Profissional e Tecnológica na formação dos recursos humanos para o setor Saúde;

  • Discutir os impactos dos desastres (naturais/naturalizados) no sistema de atendimento básico do SUS

  • Fortalecer o papel da Geografia da Saúde no planejamento territorial de ações de saúde;

  • Contribuir no desenvolvimento das atividades de prevenção e promoção de saúde para a promoção de políticas de saúde;

  • Oportunizar a consolidação de redes de pesquisa em Geografia da Saúde (local, regional, nacional e internacional);

  • Divulgar a produção científica sobre Geografia da Saúde;

  • Promover o intercâmbio entre métodos de investigação pela Geografia da Saúde;

  • Fortalecer o desenvolvimento de pesquisas em Geografia da Saúde no Estado de Santa Catarina e na região Sul;

  • Ampliar e fortalecer o debate e agenda de pesquisas em Geografia da Saúde na América Latina.

Comissão organizadora

Patrocinadores

 

Instituto Federal Catarinense

Instituto Federal de Santa Catarina

ETSUS Blumenau ""Dr. Luiz Eduardo Caminha"

PPDR - FURB

CAPES

CNPq

Agenda

Local da conferência

  • ETSUS Blumenau "Dr. Luiz Eduardo Caminha"

    R. Dois de Setembro, 1510 - Itoupava Norte, Blumenau - SC, 89052-000

Agenda da Conferência

2018-03-28

10:00 - 10:00

  • Minicurso - 2

  • Minicurso

2019-06-19

12:40 - 04:40

2019-06-20

05:41 - 05:41

05:42 - 05:42

Cronograma

Conferência

Primeiro dia da Conferênciajunho 19, 2019

Último dia da Conferênciajunho 21, 2019

 

Página Web

Lançar/Tornar Pública (como conferência atual)setembro 21, 2018

Arquivarjunho 22, 2019

 

Submissões

Inscrição de autores aberta novembro 1, 2018

Inscrição de autores encerrada junho 30, 2019

Chamada para submissões publicada outubro 1, 2018

Submissões abertas outubro 7, 2018

Submissões encerradas março 8, 2019

 

Avaliações

Inscrição de Avaliadores aberta setembro 20, 2018

Inscrição de Avaliadores encerrada maio 27, 2019

Publicação na Portal

Resumos Aceitos fevereiro 4, 2019

Agenda (incluída na página de informações sobre a Conferência)setembro 21, 2018

Submissões aceitas fevereiro 4, 2019

Programação detalhada

Inscriçoes

Programa

19/6/2019 - Quarta feira

9:00 – 12:00 Painel Jovens Pesquisadores

Prof. Rivaldo Faria - UFSM

Prof. Emerson Santos - UFMT

Prof. Ana Carolina Beceyro - Un. Cuyo (ARG)

Prof. Anselmo Vasconcelos (IFPE)

Marina Miranda (Ministério da Saúde)

Carlos Gonzalo Giraldez (Hospital Vilardebo - URU)

 

14:00 – Oficinas / Minicurso Credenciamento:

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO APLICADO Á SAÚDE

CARTOGRAFIAS DAS DOENÇAS

A EVOLUÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE NO BRASIL E A CRIAÇÃO DO SUS

OFICINA GEOGRAFIA E SAÚDE MENTAL

ESTRATÉGIA DE LEITURAS A PARTIR DO LIVRO DIDÁTICO DE GEOGRAFIA

OFICINA CONHECENDO O VEGANISMO

OFICINA MOBILIZANDO AS EMOÇÕES

PRINCÍPIOS DO RACIOCÍNIO GEOGRÁFICO E QUESTÕES DE MÉTODO EM ESPAÇO E SAÚDE

 

17:00 - Café

19:00 – Cerimônia de abertura:

19:15 – Prêmio Josué de Castro – premiação concedida a pesquisador notável, após avaliação da comissão científica.

19:30 – Conferência de abertura -  Prof. José da Rocha Carvalheiro

20/06/2019 - Quinta-feira

8:30h às 12:00h – Sessão de apresentação dos trabalhos

Coordenadoras do Eixo 1 - Práticas complementares/alternatividades em saúde:

Drª Jane Kelly Oliveira Friestino (Universidade Federal da Fronteira Sul) e  Dra. Martha Priscila Bezerra Pereira (Universidade Federal de Campina Grande).

Coordenador do Eixo 2- Formação profissional para atenção básica e conhecimento geográfico:

Prof. Dr. Anselmo Vasconcellos (IFPE) e prof. Dr. João Carlos Oliveira ( ESTES - UFU)

Coordenador do Eixo 3 - Abordagens geográficas da vigilância, prevenção e promoção:

Prof Drª Ana Carolina Beceyro (Universidade Nacional de Cuyo - ARG) e prof Drª Flavia de Oliveira Santos (UFU)

Coordenadores do Eixo 4 - Mudanças ambientais, desastres e vulnerabilidade social:

Prof. Drª. Marina Miranda (Ministério da Saúde) e Prof. Dr. Rafael Catão (UFES)

Coordenadores do Eixo 5 - Gestão/Regionalização dos serviços de Saúde: Prof. Dr. Umberto Pessoto (Instituto de Saúde/SUCEN/SP) e prof. Dr. Rivaldo Farias (UFSM)

Coordenadores do Eixo 6 - Conexões da saúde mental e território:

Prof. Ms Gonzalo Giraldez (Hospital Vilardebó - URU) e prof. Dr. Adeir Arcanjo Mota (UFGD)

12:00h às 14:00h – Almoço

14:00h às 16:00h – Mesa redonda 1 “O papel da geografia para a formação profissional para o SUS”

Mauricio Monken (FIOCRUZ)

Luisa Rojas (Un. Havana)

Sônia Fernandes (IFC)

16:00h às 17:00h - Café

17:00 as 19:00h – Mesa redonda 2 “Desastres (naturais e naturalizados) e Saúde no Brasil”

Marcos Mattedi (FURB)

Eliane Lima ( Ministério da Saúde)

Christovam Barcellos (FIOCRUZ)

 

21/06/2019 Sexta-feira

9:00 - Mesa Redonda 3: Dialogos de saberes acerca de cuidados com a saúde humana.

Mediação: Francisco Mendonça (UFPR)

Sr Josué Faustino de Souza (Raizeiro/Teresina de Goiás)

Prof Nilson Fraga (Geografia/UEL)

 

11:30 as 14:00 – Almoço

14:00 as 16:00 - Mesa redonda 4 “Em defesa do SUS....MAIS Geografia”

Raul Guimarãs (UNESP)

Maria Adélia de Souza (USP)

Luiza sterman heimann (Instituto de Saúde - SP)

16:00 – 17:00 – Café

18:00 – 19:00 – Conferência de Encerramento – Prof. Paulo Nossa – Universidade de Coimbra e Prof. Jorge Amancio Pickenhayn (Universidad Nacional de San Juan, Argentina)

20:30 - Confraternização - "OctoberGeofest"

Inscrição

 

TIPO DE INSCRIÇÃO/VALOR

 

Inscrições para ouvintes - até 15/6/2019 300,00 BRL (Inscrições Encerradas 2019-06-15)

O valor da inscrição poderá ser pago no cartão de crédito, pleo Paypal em 3 vezes.

Para inscrições pagas por empenho:

Hotel Steinhausen Ltda.

CNPJ: 83110858/0002-17

Caixa Econômica Federal

Ag. 1544

CC. 0387-0

 

 

Inscrições para autores e apresentador de trabalhos - 1 a 30/5/2019 350,00 BRL (Inscrições Encerradas 2019-05-31)

Esta inscrição poderá ser paga em até 3 vezes pelo Paypal.

Para inscrições pagas por empenho:

Hotel Steinhausen Ltda.

CNPJ: 83110858/0002-17

Caixa Econômica Federal

Ag. 1544

CC. 0387-0

 

 

Inscrições para autores e apresentador de trabalhos - 1 a 18/6/2019 400,00 BRL (Inscrições Encerradas 2019-12-18)

Esta inscrição será somenta à vista.

 

Inscrição - aluno graduação com apresentação de trabalho 150,00 BRL (Inscrições Encerradas 2020-01-22)

Inscrição para alunos de graduação com trabalho para apresentar.

Para inscrições pagas por empenho:

Hotel Steinhausen Ltda.

CNPJ: 83110858/0002-17

Caixa Economica Federal

Ag. 1544

CC. 0387-0

 

 

Inscrição - aluno graduação sem trabalho/ouvinte 150,00 BRL (Inscrições Encerradas 2019-07-23)

Em função do limite de vagas, esta inscriçao estará condicionada a vagas remanescentes. Prioridade as inscrições que apresentarão trabalho. Os contemplados seguirão a sequencia das inscrições feita pelo sistema.

Para inscrições pagas por empenho:

Hotel Steinhausen Ltda.

CNPJ: 83110858/0002-17

Caixa Economica Federal

Ag. 1544

CC. 0387-0

 

 

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO APLICADO Á SAÚDE 0,00 AFN (Inscrições Encerradas 2019-06-01)

Ao trazer o notebook, instalar os programas:

QGIS

https://www.qgis.org/pt_BR/site/

GEODA

https://spatial.uchicago.edu/software

 

Inscrições no site https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfZafhH6NA7iH9eY4-RG6B4myer6Cjk85TgfOfaPclK4Q0MdA/viewform?usp=pp_url

 

CARTOGRAFIAS DAS DOENÇAS 0,00 AFN (Inscrições Encerradas 2019-06-01)

 

A EVOLUÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE NO BRASIL E A CRIAÇÃO DO SUS 0,00 AFN (Inscrições Encerradas 2019-06-01)

 

OFICINA GEOGRAFIA E SAÚDE MENTAL 0,00 AFN (Inscrições Encerradas 2019-06-01)

 

ESTRATÉGIA DE LEITURAS A PARTIR DO LIVRO DIDÁTICO DE GEOGRAFIA 0,00 AFN (Inscrições Encerradas 2019-06-01)

 

OFICINA CONHECENDO O VEGANISMO 0,00 AFN (Inscrições Encerradas 2019-06-01)

 

Oficina Mobilizando as Emoções 0,00 AFN (Inscrições Encerradas 2019-06-01)

 

PRINCÍPIOS DO RACIOCÍNIO GEOGRÁFICO E QUESTÕES DE MÉTODO EM ESPAÇO E SAÚDE

Políticas das Modalidades

Minicursos e Oficinas

   Entre as atividades previstas para o IX Geosaúde, estão os minicursos, os quais são cursos com duração de 3 horas onde são apresentados de modo introdutório ou avançado tópicos atuais de pesquisa ou tecnologia, normalmente não abordados ou que despertem grande interesse de acadêmicos ou profissionais. São bem-vindas propostas de minicursos em todas os temas que abordem a Geografia e o SUS.

        Submissões Abertas     Avaliada pelos Pares

 

Práticas complementares/alternatividades em saúde

A relação das Práticas Integrativas e Complementares (PIC) ou alternatividades com a Política Nacional de Promoção da Saúde, tendo em vista que a promoção da saúde pode ser compreendida como um campo de propostas, ideias e práticas, crescente na saúde pública, que parte de uma concepção ampla do processo saúde-doença e de seus determinantes, e propõe a articulação de saberes técnicos e populares e a mobilização de recursos institucionais e comunitários, públicos e privados, para seu enfrentamento e resolução. A inserção das práticas integrativas e complementares no SUS configura uma ação de ampliação de acesso e qualificação dos serviços, na tentativa de envolver a integralidade da atenção à saúde da população6 . Nesse entendimento, essa sessão discutirá a importância da Atenção Primária para fortalecer práticas de promoção da saúde, em especial, as Práticas Integrativas e Complementares / Alternatividades.

Diretores

  • Jane Friestino, Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS Campus Chapecó

  • Martha Priscila Pereira, Universidade Federal de Campina Grande

 Submissões Abertas Avaliada pelos Pares

Formação profissional para atenção básica e conhecimento geográfico

 

A estruturação da política de Saúde é fruto de atuação de importantes segmentos sociais e políticos na consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS). Os diversos setores envolvidos com o SUS têm por papel fundamental induzir a produção das mudanças que atravessam o campo das práticas de Saúde como o campo da formação profissional. As novas ações em experimentação devem ofertar propostas de transformação das práticas profissionais, fundadas na reflexão crítica sobre o trabalho em Saúde e a experimentação da alteridade com os usuários. Tais práticas precisam possibilitar que o cotidiano das relações de cuidado em Saúde e da gestão setorial sejam incorporadas ao aprender e ensinar. É neste sentido que entendemos que a Geografia pode contribuir para a formação deste profissional.

Este conhecimento geográfico deve instrumentalizar os profissionais da saúde para ir além da busca de diagnóstico e intervenção sobre um processo de adoecimento. Aplicar a geografia para buscar atender às necessidades de saúde das pessoas e das populações, da gestão setorial e do controle social em saúde. Um exercicio importante e necessário.

 

Diretores

  • João Carlos Oliveira, Escola Técnica de Saúde - UFU

  • Anselmo Vasconcelos, IFPE

 Submissões Abertas Avaliada pelos Pares

Mudanças ambientais, desastres e vulnerabilidade social

A preponderância do controle sobre a natureza como forma de garantir segurança, especialmente nas áreas urbanas, debilita a gestão do risco que não considera as desigualdades dos impactos sociais de um desastre. A proposta deste eixo é  considerar na análise do risco ante desastres reside na sua desigual distribuição.

Quais seriam as estratégias para que os riscos de desastres socionaturais tenham para uma menor probabilidade de afetar a determinados grupos socioeconômicos ou sociodemográficos?

Como colocar o SUS na concepção de novos modelos de gestão de risco e novos modelos educativos emancipadores que questionem essa desigual distribuição do risco e as causas sociais produtoras de vulnerabilidade ?

São as principais perguntas norteadoras deste eixo que os participantes poderão contribuir.

 

Diretores

  • Rafael Catão, UFES

  • Marina Miranda, Ministério da Saúde

 Submissões Abertas Avaliada pelos Pares

Gestão/Regionalização dos serviços de saúde

 

A Regionalização é uma diretriz do Sistema Único de Saúde e um eixo estruturante do Pacto de Gestão e deve orientar a descentralização das ações e serviços de saúde e os processos de negociação e pactuação entre os gestores. Os principais instrumentos de planejamento da Regionalização são o Plano Diretor de Regionalização (PDR), o Plano Diretor de Investimento (PDI) e a Programação Pactuada e Integrada da Atenção à Saúde (PPI).

Este eixo discutirá a importância das categorias da geografia para definição do planejamento regional, onde os gestores/usuários podem em conjunto compartilhar e otimizar  a utilização de seus recursos físicos, financeiros e humanos para superação dos problemas de saúde.

 

Diretores

  • Rivaldo Farias, UFSM

  • José Machado, IFSC

  • Umberto Pessoto, Instituto de Saúde - SP/Sucen

Abordagens geográficas da vigilância, prevenção e promoção

A proposta da Vigilância à Saúde começou a ser discutido desde a inicio da implantação do Sistema Único de Saúde na década de 90. Essa construção foi motivada pela necessidade de ampliação das ações de vigilância epidemiológica, no sentido de contemplar as condições de vida em sua amplitude, uma vez que tais ações sempre estiveram voltadas para o controle do agente etiológico e do meio ambiente(1). Estas, sem dúvida, são de grande importância para romper a cadeia de transmissão das enfermidades, mas são restritas e, em geral, são focais e de baixa efetividade, por não alcançarem os determinantes dos agravos. Além disso, a necessidade de reorganização dos serviços de saúde, no sentido de responder às demandas da população tem impulsionado amplo debate sobre a Vigilância à Saúde, de forma tal que muitas são as interpretações subjacentes ao termo. Ademais, verifica-se, na literatura, polissemia que abrange: vigilância à saúde; vigilância em saúde; vigilância em saúde pública e vigilância da saúde. De qualquer forma, esta sessão discutirá de que maneira a Geografia pode articular com todos esses termos e o que se pode esperar na prática, um eixo comum não apenas estruturado na epidemiologia, mas também nas informações geográficas de saúde.

Diretores

  • Ana Carolina Beceyro, Universidad Nacional de Cuyo, Mendoza, Argentina

  • Flavia Santos, Universidade Federal de Uberlânida - UFU

 

Conexões da saúde mental e território

Esta sessão tratará sobre a saúde mental no contexto da geografia , o conceito de território está presente em múltiplas dimensões e sentidos. Em documentos que expressam princípios e diretrizes das políticas de saúde e no planejamento das ações locais,  a relação entre saúde mental e território é elemento central para organizar a rede de cuidado na atenção psicossocial.

Diretores

  • Carlos Giraldez, 1) Administración de Servicios de Salud del Estado / Hospital Vilardebó, Uruguay. 2) Facultad de Psicología, UdelaR, Uruguay. 3) Facultad de Ciencias, UdelaR, Uruguay.

  • Adeir Archanjo Mota, Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

 

Acomodações

O evento contará com a parceria dos Hoteis Steinhausen:

Mais informações em:

http://www.hotelsteinhausen.com.br/

Trabalhos premiados 

ANÁLISE ESPACIAL DOS DETERMINANTES SOCIOAMBIENTAIS PARA LEPTOSPIROSE NO MUNICÍPIO DE ITABORAÍ-RJ, ATRAVÉS DA ABORDAGEM ECOSSISTÊMICA

Jefferson Pereira Caldas,

Hermano Albuquerque,

Heitor Levy Ferreira Praça,

Alexandre San Pedro Siqueira,

Luciano Medeiro de Toledo,

Paulo Chagastelles Sabroza

E-Books Publicados

ABORDAGENS GEOGRAFICAS DA VIGILANCIA , PREVENÇÃO E PROMOÇÃO DE SAUDE

Eduardo Augusto Werneck Ribeiro

Carolina Beceyero

Flavia de Oliveira Santos

MUDANÇAS AMBIENTAIS,DESASTRES E VULNERABILIDADE SOCIAL

Eduardo Augusto Werneck Ribeiro

Marina Miranda

Rafael Catão de Castro

PRATICAS COMPLEMENTARES E ALTERNATIVAS EM SAUDE

Eduardo Augusto Werneck Ribeiro

Martha Priscila Bezerra Pereira
Jane Kelly Oliveira Friestino

REGIONALIZAÇÃO  E GESTÃO DOS SERVIÇO DE SAUDE

Eduardo Augusto Werneck Ribeiro
Rivaldo Mauro de Faria
José Roberto Machado
Umberto Catarino Pessoto
João Carlos de Oliveira

FORMAÇÃO PROFISSIONAL PARA ATENÇÃO BASICA E CONHECIMENTO GEOGRAFICO 

Eduardo Augusto Werneck Ribeiro

Anselmo César Vasconcelos Bezerra

NOVOS TEMAS E DEBATES PARA A GEOGRAFIA DA SAUDE

Eduardo Augusto Werneck Ribeiro

CONEXÃO DA SAÚDE MENTAL E
TERRITÓRIO

Eduardo Augusto Werneck Ribeiro
Adeir Archanjo da Mota

Carlos Gonzalo Giraldez García